The boss: Anderson Sena | Afro Negócios

The boss: Anderson Sena


Anderson Sena Botelho árbitro da Federação Paulista de Basquete,

um exemplo de superação e perseverança.

 

De origem humilde sempre teve o apoio da família. No início dos seus estudos foi reprovado na primeira série e ainda criança passou por uma situação traumática, aos 8 anos, ao chegar em casa todo arranhado. Sua mãe estranhando o estado do filho foi até a escola e se surpreendeu ao descobrir que a professora dele era racista e o batia. O caso foi parar na justiça, onde ele, ainda criança foi chamado de macaco  pela professora na frente do juiz, ganhando a causa. A professora foi impedida de dar aula, porém, os problemas não terminaram por ai, ao pegar o boletim de Anderson sua mãe viu que o mesmo tinha sido reprovado novamente, então foi descoberto que a mesma professora que o havia agredido física e psicologicamente, nunca lhe dava presença na escola.  O caso voltou para a justiça, onde as faltas foram anuladas, porém, aos 9 anos ele teve que fazer novamente a primeira série.

Começou a trabalhar muito cedo, e aos 11 anos era guardador de carros no colégio de Freiras em Itaquera, porém seu primeiro emprego fixo foi aos 15 anos em uma tapeçaria onde reformava sofás. Até os quatorze anos teve o apoio do pai, após esse período seus pais se separaram e ele perdeu o contato, voltando a reencontrar o pai 10 anos depois.

 Permaneceu trabalhando na tapeçaria por um ano e meio e iniciou seu envolvimento com os esportes.

 Começou a jogar basquete em cidades próximas a São Paulo, passou 6 meses em Atibaia, Americana, onde não se adaptou, São Bernardo, sempre conciliando com os estudos. Aos 20 anos mesmo com o trauma concluiu o 2º grau..

Aos 22 anos por incentivo de um amigo, ele iniciou  curso para ser árbitro, no qual ele conciliava com o trabalho em um mercado atacadista.

 Também aos 22 anos, juntamente com o curso iniciou a faculdade de Educação Física e o mesmo amigo que o incentivara a fazer o curso lhe deu um emprego em sua tabacaria.

Anderson conciliava a faculdade, o emprego na tabacaria e em uma escola, onde dava aula. E foi assim durante dois anos.

560865_4423481227894_881067738_n

No final de 2006 passou por 2 testes

físicos e duas provas sendo aprovado na federação onde começou a apitar jogos,porém , logo passou a ser mesário por não ter a pontuação necessária para apitar jogos, mas ele não desistiu. Permaneceu co

mo mesário até 2011, quando fez outro curso, e finalmente voltou a apitar.

Sempre conciliando o trabalho e os estudos com trabalhos voluntários envolvendo crianças carentes.

Anderson Sena Botelho hoje com 29 anos, Arbitro da Federação Paulista de Basquete, bacharel em Educação Física e um exemplo de superação.

Quando pergunto a Anderson referente os traumas de infância:

“Eu tive muitos problemas na escola, amorosos, amigos errados, nunca perdi o foco. Até hoje tenho seqüelas, mas pretendo arrumar as coisas sem pressa. Tenha foco nunca desista trabalhe duro e sempre se espelhe em alguém para poder alcançar seus objetivos.”

 

Planos para o futuro?

Sim, fazer 2 pós graduações e trabalhar em um clube diretamente com basquete.

Prêmios?

Este é o primeiro, ter sua história no Afro Negócios, e poder  mostrar as pessoas que não devem desistir em meio as adiversidades e pedras no caminho.

Concerteza este é apenas o primeiro de muitos prêmios em sua jornada.

 

Escrito por

Michelle Rocha Santos

468 ad
error: Conteúdo Protegido!