6 erros que você NÃO pode cometer

 

Um logo é uma ferramenta essencial na estratégia comercial de uma empresa. Ele transmite diversos aspectos que aquela marca deseja comunicar ao seu mercado, tanto é que podemos até considerá-lo a cara da empresa, já que, normalmente, é a “primeira impressão” no contato com seus produtos e serviços.

Um logo é capaz de fidelizar clientes, graças à relação gerada por meio dos elementos visuais. Por isso, criar um logo é um trabalho que envolve criatividade, pesquisa, expertise e um profundo conhecimento sobre a empresa, já que ele pode definir o sucesso — ou o fracasso — de uma marca.

Para evitar que um erro na criação do seu logo acabe gerando sérios problemas ao seu negócio, veja a seguir 6 erros que você não pode cometer durante esse processo.

1. Criar logo com amadores

É muito comum ouvir histórias de empresas que têm seus logos criados por sobrinhos, amigos que “mexem com programas de computador” ou até mesmo por empresários que acham que ninguém entende melhor da sua empresa do que ele mesmo.

Isso é uma das principais razões de vermos logos que simplesmente não condizem com o negócio que representam, que são esteticamente negativas ou que não transmitem ideia alguma. Além disso, amadores não têm a expertise que um designer tem. O designer é o profissional mais apto para criar um logo e todos os elementos da identidade visual do seu negócio.

Sua preparação acadêmica e profissional permite que ele tenha um olhar crítico sobre a necessidade da empresa e que encontre as melhores formas de representar os valores da organização graficamente, assegurando que a mensagem desejada seja transmitida.

2. Seguir tendências

As tendências podem te ajudar muito a entender o que está ocorrendo no mercado naquele momento, porém criar seu logo baseando-se em uma delas pode ser um erro — apesar de bastante comum. Um logo deve ser projetado para que continue transmitindo suas ideias por muito tempo e seguir uma tendência vai de encontro a isso.

Tendências costumam durar pouco tempo e, por isso, seu logo pode ficar defasado — em termos de comunicação — e brega — em termos de estilo em longo prazo. Ambos os pontos podem contribuir negativamente para a imagem da marca, já que esses contratempos geram custos com uma nova criação.

3. Investir em logos muito complexos e detalhados

Um logo tem de transmitir uma ideia de forma direta. Quando são adicionados muitos elementos gráficos ao criar o logo — tanto formas detalhadas quanto as mais complexas —, a legibilidade fica prejudicada, ou seja, o cliente não conseguirá identificar bem o que a marcar quer dizer.

Elementos muito detalhados e complexos também atrapalham na redução mínima do logo, isto é, no tamanho mínimo que ele pode ter sem que sua legibilidade seja prejudicada. Quanto mais esse logo puder ser reduzido, mais a sua mensagem pode ser transmitida, inclusive, em um tamanho pequeno.

Isso pode influenciar ainda em questões de gastos de impressão e formatos de papelaria, já que, se o logo não puder ter uma redução máxima adequada, formatos comuns de papel não poderão ser usados.

4. Depender de cores e aplicações erradas

A aplicação correta de cores no logo em si não é um erro; o problema é quando aquele logo só pode ser facilmente reconhecido por causa de suas cores. Ao criar um logo, deve-se atentar para o fato de que ele também deve ser reproduzido em preto e branco — tanto no positivo (preta em fundo branco) quanto no negativo (branca com fundo preto).

A combinação de cores é outro fator decisivo para o sucesso ou para fracasso de um logo. A teoria da cores — os estudos sobre a percepção das cores em diversos aspectos humanos, sociais e biológicos — sugere que determinadas matizes estão relacionadas com certas emoções. Essas relações também devem ser observadas, visto que uma cor errada inserida no logo pode denotar um significado oposto ao que se deseja.

Além disso, é preciso testar a impressão em diferentes tipos de papéis, já que uma determinada cor pode sofrer uma variação de tom de acordo com a opacidade do papel ou por ele ter algum tipo de revestimento brilhante ou fosco. E isso pode transformar uma cor viva que foi escolhida em um tom pastel, indo totalmente na contramão do que foi projetado para aquele logo.

5. Usar muitas tipografias

Quando tratamos de logotipos, a escolha das fontes para compô-lo é tão importante quanto a escolha de cores. O uso de muitas tipografias no mesmo logo, além de não ficar esteticamente agradável, pode prejudicar tanto na identificação da marca quanto na transmissão dos valores que a empresa deseja. Além disso, é bom evitar fontes manuscritas ou muito detalhadas para que não haja perda de legibilidade.

É costume dizer que menos é mais — e isso pode ser incluído aqui também. Ir além das informações básicas necessárias, incluindo nome da linha de produtos e até o slogan é um erro. A condensação de forma clara e objetiva de todas informações é praticamente impossível. Por esse motivo, esses excessos devem ser evitados para que sempre seja prezada a comunicação direta, clara e objetiva da mensagem desejada.

6. Utilizar imagens e grafismos pré-existentes

A maioria das imagens e dos grafismos disponíveis na internet, em bancos de imagem gratuitos ou pagos, não permitem o licenciamento para uso comercial, o que pode acarretar diversos problemas legais à empresa.

As imagens e os demais elementos gráficos que não foram criados por você ou para sua empresa podem gerar processos por plágio ou por violação de direitos autorais — o que, além de gerar um imenso prejuízo financeiro, ainda pode manchar a imagem do seu negócio.

Dessa forma, é muito importante dar a atenção a este detalhe, já que este pode resultar no fim de uma marca. Não se esqueça que, ao criar um logo, devemos sempre prezar pela objetividade na transmissão dos valores e das qualidades da marca para que haja um reconhecimento rápido e efetivo pelos consumidores.

Hoje em dia, a quantidade de informação disponível é muito grande em todo lugar e as marcas de empresas estão espalhadas por todo canto.Sendo assim, um logo bem desenvolvido é essencial para ter destaque diante das demais marcas.